Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Estudantes criam aeronave para competir em São Paulo
Início do conteúdo da página Notícias

Estudantes criam aeronave para competir em São Paulo

  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 15/10/2009 15h56
  • última modificação 15/10/2009 15h56
Imprimir

Um grupo formado por 13 alunos de Engenharia Mecânica do Instituto Federal do Maranhão – Campus Monte Castelo – desenvolve, desde o ano passado, o projeto de um pequeno avião. Depois de meses de trabalho a ideia saiu do papel e um protótipo deve ganhar os ares numa competição nacional de AeroDesign, promovida pela Sociedade dos Engenheiros da Mobilidade, de 21 a 25 de outubro, em São José dos Campos (SP).

avia1

 

avia avia3_copy
A aeronave criada pelos estudantes maranhenses pesa 6,5 quilos, tem 2,5 metros de envergadura e 1,8 metros de comprimento. Ele é feita de madeira de paparaúba e alumínio e está coberta com vinil. A maioria das peças, inclusive o motor, veio dos Estados Unidos. A previsão é que, durante a decolagem, o protótipo atinja uma velocidade de 55 km por hora. O combustível é uma mistura de óleo lubrificante e nitro e o controle é feito via rádio, com alcance de três quilômetros.

O projeto custou quase cinco mil reais e contou com a orientação do professor André Pereira Santana, que havia participado em 2004 e 2005 dessa mesma competição como estudante. “Este ano iremos concorrer com outras 60 equipes de todo o país. Nosso projeto está maduro e temos todas as condições de representar bem nossa instituição”, analisou ele.

Ganhará a competição, a equipe que conseguir decolar o protótipo com a maior carga. O projeto maranhense tem capacidade para receber até nove quilos de placas de aço no compartimento de carga, o que poderá garantir um bom desempenho frente aos concorrentes.
De acordo com o aluno Edan de Paula, um dos maiores desafios foi projetar a asa. “Ela é mais difícil. Tem que ser perfeita para não sofrer oscilações de vento e derrapar”, explica.

Os estudantes contaram com ainda com a assessoria de um artesão conhecido internacionalmente por seu trabalho de construção de aeromaquetes. Joaquim Neto cedeu o espaço de seu ateliê, no Bairro de Fátima, para que os jovens desenvolvessem o avião. “Os meninos estão de parabéns. Eles demonstraram muita capacidade e competência e acredito no sucesso deles”, confessou o artesão.

registrado em:
Fim do conteúdo da página