Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Fapema financia pesquisas de professores do Instituto
Início do conteúdo da página Notícias

Fapema financia pesquisas de professores do Instituto

  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 18/02/2010 15h55
  • última modificação 18/02/2010 15h55
Imprimir

A Fundação de Amparo a Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) divulgou a relação de pesquisadores que tiveram seus projetos de pesquisa científica e tecnológica aprovados. Sete professores do Instituto Federal do Maranhão foram contemplados com bolsas nas faixas A, B e C, sendo que o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, José Hilton Rangel, foi destaque em produtividade.

Para a faixa A está reservado o valor total de R$ 900.000,00 (novecentos mil reais), com teto de R$ 30.000,00 (trinta mil reais) por projeto. Na faixa B serão distribuídos R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais), com teto de R$ 12.000,00 (doze mil reais) por projeto. Na faixa C, o valor disponibilizado é de R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais), sendo o teto, por projeto, de R$ 8.000,00 (oito mil reais).

Os professores do Instituto contemplados foram:

– Adalto R. G. dos Santos Filho (Faixa A)
– Aluisio Alves Cabral Junior (Faixa A)
– Jose Hilton Gomes Rangel (Faixa A)
– Marcelo Moizinho Oliveira (Faixa A)
– Keyll Carlos Ribeiro Martins (Faixa B)
– Andre Pereira Santana (Faixa C)
– Cláudio Leão Torres (Faixa C)

 

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, José Hilton Rangel, foi destaque em outro edital, que selecionou pesquisadores por produtividade. Ele foi o único do Instituto Federal do Maranhão a ser selecionado. O projeto dele inovou ao apresentar catalizadores cerâmicos que podem ser utilizados no processo de fabricação de biodiesel. “Tenho um ano para desenvolver essa pesquisa. Uma das vantagens dessa tecnologia está no alto índice de reaproveitamento dos catalizadores”, explicou Rangel, que também é professor e orientador do Mestrado em Engenharia de Materiais.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página