Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Professor do IFMA desenvolve método que otimiza a produção da tiquira
Início do conteúdo da página Notícias

Professor do IFMA desenvolve método que otimiza a produção da tiquira

  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 12/06/2015 12h01
  • última modificação 12/06/2015 12h01
Imprimir

O modelo proposto pela pesquisa reduz o tempo de produção da aguardente de 25 dias para 25 horas e minimiza substâncias cancerígenas

Uma das bebidas mais consumidas no Maranhão, a tiquira é uma aguardente produzida a partir da sacarificação (transformação em açúcar) e fermentação da mandioca. O processo de produção tradicional é bastante demorado, levando em torno de 20 a 25 dias para ser concluído; um dos problemas nesse longo processo é a produção de um composto químico chamado carbamato de etila, altamente cancerígeno.

Analise da temperatura do mosto. Liquido acucarado que vai ser fermentadoAo constatar esse risco, o professor Francisco Albuquerque, da Pró-reitoria de Extensão (PROEXT), desenvolveu uma pesquisa para otimizar a produção do destilado. O trabalho do pesquisador reduziu o tempo de produção para 25 horas (1 dia) e baixou consideravelmente os valores do carbamato de etila de 2,5 mg/L (na produção tradicional) para 0,4. A pesquisa foi iniciada em 2011 e seus resultados foram apresentados no III Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, realizado em maio, em Recife – PE.

Processo de liquefacao quando acontece as primeiras quebradas da molecula do amido para poder transformar em gligose“Por meio das análises químicas realizadas no Campus São Luís – Maracanã (IFMA) e na USP [Universidade de São Paulo], constatamos as propriedades cancerígenas do carbamato de etila e que o uso de enzimas comerciais e fungos isolados melhora a qualidade do produto final”, explica o pesquisador.

O que propõe o novo método

Teste de sacarificacao. transformacao do amido em glicose. copyNa produção tradicional de tiquira, uma das etapas mais demoradas é a fermentação da mandioca. Esse processo leva até oito dias e é feito por microrganismos adquiridos do ambiente. Já o novo modelo utiliza enzimas comerciais, fungos isolados dos beijus de mandioca e leveduras também comerciais, que reduzem o tempo de produção e mantêm as características da aguardente.

PESQUISA: Otimização do processo de produção de tiquira empregando enzimas comerciais e fungos isolados a partir dos beijus utilizados no método tradicional.

Curiosidade

Segundo o escritor Gonçalves Lima, a palavra tiquira é originária da palavra tupi tikira, que significa líquido que goteja, que pinga do alambique. Teria a sua origem entre os índios da Amazônia, tendo sido adotada pelos habitantes do Maranhão como a sua bebida típica. Entre as bebidas destiladas da mandioca, apenas a tiquira tem legislação específica. Fonte: Folder promocional da Tiquira do Lençóis – Sebrae/MA (2006).

registrado em:
Fim do conteúdo da página