Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > IFMA sem Fronteiras: estudante relata experiência de estágio internacional em evento
Início do conteúdo da página Notícias

IFMA sem Fronteiras: estudante relata experiência de estágio internacional em evento

  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 03/07/2015 21h01
  • última modificação 10/07/2015 18h04

Imprimir
João José Soares participa de evento da Fiema

O estudante do IFMA João José Soares participa de Painel de Estágio Internacional na Fiema

Com o objetivo de sensibilizar o empresariado local a estreitar os laços com as instituições de ensino superior maranhenses e estimular a academia sobre a importância de enviar alunos para participarem de programas de intercâmbio, a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), realizou o Painel Estágio Internacional: experiências de estudantes maranhenses. O evento reuniu nesta quinta-feira (2), no Salão Nobre da Fiema, cinco estudantes para relatarem as suas experiências em estágios internacionais, realizados por meio do programa Ciências Sem Fronteiras. Na ocasião, o estudante João José Soares do curso de Engenharia Mecânica Industrial, do IFMA São Luís-Monte Castelo, contou a experiência de estágio que ele viveu na Coréia do Sul. No Painel, representaram o Instituto a coordenadora do Programa Ciências Sem Fronteiras, Tatiana Abreu, e o pró-reitor de Extensão, Fernando Lima.

O pró-reitor de Extensão, Fernando Lima, assistiu ao painel de apresentações dos estudantes maranhenses e destacou a importância do programa Ciência Sem Fronteiras tanto para a formação acadêmica dos estudantes quanto para as empresas que irão absorver esses futuros trabalhadores. “Queremos melhorar a mão de obra do mercado de trabalho maranhense. Então, a ideia é colocar os nossos alunos para participarem de programas de estágio internacionais numa forma de possibilitar que eles tragam para nós as técnicas aprendidas nessas empresas”, analisou. Fernando Lima informou que o feedback recebido dos alunos que participaram do programa tem apontado para um reforço da parceria entre o mercado e as instituições de ensino. “A academia precisa estar cada vez mais integrada ao setor produtivo. Percebemos que lá fora a academia anda de mãos dadas com o mercado e precisamos avançar nesse quesito”, enfatizou o pró-reitor.

Durante o Painel, o estudante do IFMA João José Soares relatou a experiência que viveu na Coréia do Sul fazendo estágio nas multinacionais Hyundai Motor Company e Shinil Company, empresas dos ramos automobilístico e de material de limpeza, respectivamente.  “Foi uma experiência maravilhosa que eu vivi. Para muitos estudantes, a ideia de realizar um intercâmbio nunca seria imaginada e o governo investiu nesse setor. Porém, é importante ter em mente que somos bolsistas do governo brasileiro, logo devemos trazer resultados para o nosso país”, avaliou.

A Coordenadora de Parcerias e Acordos Internacionais e Suporte do IFMA, Helena Sales, expõe que a oportunidade para um estudante de realizar estudos e estágios no exterior abre os horizontes dos mesmos. “O Ciências Sem Fronteiras nasceu com o intuito de colaborar com a formação acadêmica do aluno, pois possibilita que ele desenvolva várias habilidades para a inovação. Participar do programa abre as portas das empresas tanto aqui no Brasil quanto no exterior”, explicou Helena Sales.

O Painel Estágio Internacional foi um evento voltado para empresários e coordenadores de cursos de ensino superior e técnico, e contou com a participação de 40 pessoas. Os estudantes que relataram as suas experiências de intercâmbio foram: Enio Lucas Dias Lima Barros, do curso de Engenharia Elétrica da UFMA; Zilmara Zamyla da Silva Almeida, do curso de Engenharia Química da UFMA; Beatriz Virginha Cruz Matos, do curso de Engenharia de Produção da UEMA; Vinícius Garcês Gallotti Serra, do curso Engenharia da Produção da UNDB e João José Soares Neto, do curso de Engenharia Mecânica Industrial do IFMA.

Diversidade cultural asiática –  Prestes a se formar no curso de Engenharia Mecânica Industrial do Monte Castelo, o estudante João José Soares, de 24 anos, hoje é estagiário da Vale. Ele conta que a experiência que ele viveu na Hyundai e Shinil, na Coréia do Sul, foi enriquecedora e lhe possibilitou ter uma nova visão do ambiente profissional e da sua carreira. “O brasileiro tem uma síndrome de cachorro vira-lata, sempre achamos que os outros são melhores por natureza. No entanto, o que nos falta realmente é ter um foco e esforço para atingir os nossos objetivos”, relatou João José.

O estudante foi bolsista do programa Ciência Sem Fronteiras em 2013. Ele estudou na Hanyang University, na Coréia do Sul, considerada uma das melhores universidades do mundo. “Lá eu tive contato com uma cultura totalmente diferente da nossa. A cultura asiática é totalmente focada no trabalho, na honra e na integridade. Na Hanyang University tive um grande crescimento acadêmico, pois a universidade dispõe de estrutura de altíssima qualidade e professores com qualificação elevada. Ao final do meu intercâmbio, eu recebi diretamente das mãos do embaixador do Brasil em Seoul, Edmundo Fujita, um certificado de mérito pelo bom desempenho no programa, o que foi muito gratificante por ser um reconhecimento de todos os esforços que fiz”, narrou.

A barreira da língua, conta o estudante, foi uma das maiores dificuldades enfrentadas por João. Ele relata também que foi difícil se adaptar à cultura coreana. “O inglês não é o idioma oficial do país, então para um estrangeiro acompanhar as aulas e conseguir aprovação nas cadeiras é exigido bastante esforço e horas de estudo além do que estamos acostumados”, explica. “Mas o maior aprendizado que tive foi o respeito à diversidade cultural. Nós aprendemos a ter um olhar mais amplo sobre o mundo, a conhecer os nossos limites e saber superá-los com dedicação”, completou o estudante.

João José Soares atuou no setor de Planejamento da Hyundai, traçando planos de ação na área de pesquisa e desenvolvimento. Já na Shinil, o estudante ficou responsável por fazer um levantamento comercial na Espanha focado na área de produtos de limpeza, para isso João teve que passar um tempo morando em Madri – período em que teve contato com clientes holandeses e espanhóis das principais redes de supermercados locais.

Confira outras matérias da série “IFMA sem Fronteiras”:

IFMA sem Fronteiras: Aluna do Campus Zé Doca é convidada a fazer Mestrado no Canadá

IFMA sem Fronteiras: estudante de engenharia foi em busca de conhecimentos no Oriente

IFMA sem Fronteiras: aluno descobre vocação para pesquisa em terras portuguesas

IFMA sem Fronteiras: produto alimentício desenvolvido por estudante é premiado no Canadá

Fim do conteúdo da página