Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página Inicial > Notícias > Editora divulga iniciativas de apoio a publicações
Início do conteúdo da página Notícias

Editora divulga iniciativas de apoio a publicações

Iniciativas foram aprovadas durante a primeira reunião de trabalho do conselho editorial do Instituto
  • Augusto do Nascimento
  • publicado 08/05/2017 11h56
  • última modificação 08/05/2017 12h01

A Editora IFMA (EdIFMA), responsável por implementar a política editorial do Instituto Federal do Maranhão, divulgou nesta segunda-feira (8) três editais de incentivo à publicação de obras de servidores docentes e técnicos. As iniciativas foram aprovadas durante a primeira reunião de trabalho do conselho deliberativo, realizada em abril, no Campus São Luís / Monte Castelo (ver abaixo). A EdIFMA é vinculada à Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (PRPGI)

De acordo com a pró-reitora Natilene Mesquita Brito, os primeiros editais lançados pela EdIFMA integram ações da PRPGI para divulgar a produção intelectual da comunidade acadêmica. “O Instituto tem muitos trabalhos, e precisamos de uma ferramenta como a editora para dar vazão e visibilidade aos servidores que têm conhecimento na forma de manuscritos”, disse ela, ressaltando que os produtos editoriais trarão benefícios tanto para o público interno da instituição quanto para toda a sociedade.

Dentre as ações, o Edital N° 41/2017 contempla a seleção para editoração e publicação de obras, em especial de natureza inédita, produzidas pelo quadro funcional do Instituto ou pesquisadores colaboradores. A submissão de propostas deve ser feita através do Sistema Unificado de Administração Pública (SUAP), no módulo da EdIFMA, até o dia 11 de agosto. Os trabalhos selecionados (literários, artísticos, científicos e tecnológicos) serão publicados no formato e-Book, que pode ser lido em suporte digital, mas permite que os autores busquem fontes alternativas de recursos para a impressão em volume físico.

Com o Edital N° 42/2017, a EdIFMA busca apoiar a publicação, em fluxo contínuo até 15 de dezembro, de anais de encontros acadêmicos ou livros de resumos de eventos realizados no IFMA ou em colaboração com outra universidade. A inscrição de propostas visa à inclusão das publicações no sistema internacional de identificação de livros ISBN (sigla em inglês para International Standard Book Number), serviço que no Brasil é atribuído pela Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Através de um número identificador de 13 dígitos, o sistema individualiza os livros segundo título, autor, país e editora, e inclusive o número da edição.

Já o Edital N° 43/2017 tem o objeto de apoiar a publicação de apostilas para atender aos professores do Instituto que desenvolvem material didático para disciplinas de cursos técnicos e de graduação, assim como incentivar a publicação de apontamentos, protegendo-os pelo registro do ISBN. O edital, com prazo de submissão de propostas até 15 de dezembro, tem ainda o objetivo de inibir a reprodução por cópias, ao oferecer aos alunos material de qualidade a um baixo custo.

Editora

Natilene Brito informou que a EdIFMA foi criada em 2010 (Resolução N° 37 do Conselho Superior), mas não chegou a ser efetivamente implementada por conta da carência de recursos humanos. Com a reestruturação da Reitoria no ano passado, foi designada uma chefia para dar andamento à política editorial do Instituto, que até então vinha sendo realizada com a colaboração de outros servidores.

“O Instituto é diferenciado, como uma escola de nível médio e uma universidade ao mesmo tempo, e tem profissionais de praticamente todas as áreas; por isso as publicações serão diversas”, disse o professor Gedeon Reis, que preside o conselho editorial da EdIFMA. Ele destacou que os produtos editoriais trarão conteúdos técnico-científicos, mas também artísticos e culturais. Sobre o incentivo à publicação de apostilas, o editor-chefe considerou que os professores dos cursos técnicos poderão adaptar a bibliografia adotada no ensino superior, para melhor compreensão dos estudantes de nível médio durante as aulas, com o diferencial de os autores poderem ainda tratar de temas gerais no contexto regional específico dos campi onde lecionam.

O professor Fernando Antônio Carvalho de Lima, da Pró-reitoria de Extensão e Relações Institucionais (PROEXT), considerou o papel da EdIFMA para divulgar diversas ações desenvolvidas no Instituto, como a pesquisa aplicada, extensão e empreendedorismo. “Há muita coisa desenvolvida pelo Instituto Federal que não está se tornando de domínio e apropriação da sociedade maranhense pela falta de meios de divulgação”, disse o pró-reitor, ressaltando que as publicações dos pesquisadores do IFMA são reconhecidas no meio científico, mas não chegam ao conhecimento do público geral. Nesse sentido, Fernando Lima considerou que a Editora constitui um elo forte entre o Instituto e as comunidades, no sentido de captar informações, saberes e conhecimentos culturais produzidos socialmente, dando-lhes uma formatação científica e devolvendo como um produto capaz de promover a transformação social.

Conselho editorial

Na primeira reunião dos conselheiros da EdIFMA, realizada na manhã de 5 de março (quarta-feira), os servidores engajados na condução da política editorial do Instituto discutiram sobre o regimento interno do órgão deliberativo e conheceram a logomarca da Editora, dentre outras pautas. Segundo Gedeon Reis, o objetivo desse encontro de trabalho foi iniciar de fato o processo de estruturação da EdIFMA. Na ocasião, o professor Henio Henrique Aragão Rego, coordenador do curso de pós-graduação em Física no Campus Monte Castelo, foi eleito vice-presidente do Conselho. Atuam como conselheiros titulares e suplentes tanto professores de áreas definidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES/MEC), quanto servidores técnicos em atuação nos diversos campi do IFMA, além de representantes da PRPGI e da PROEXT.

O zootecnista Márcio da Silva Vilela, professor do Campus Grajaú e conselheiro titular, informou que a eleição para o conselho deliberativo da EdIFMA foi realizada através do SUAP, com os candidatos escolhidos por servidores da mesma categoria. No caso dele, os eleitores foram outros docentes da área de Ciências Agrárias. O professor destacou a operacionalidade do sistema, que favoreceu a participação democrática dos pares lotados nos diferentes campi do Instituto.

Quanto à publicação das apostilas temáticas, Márcio Vilela observou que a iniciativa vai facilitar a preparação das aulas, tarefa que requer a consulta a várias obras referentes a um conteúdo a ser abordado com os alunos, sendo que cada matéria envolve uma abordagem diferente, dada a diversidade dos cursos e das turmas. “É muito mais simples trabalhar um conteúdo se já temos o material pronto”, disse ele, que atualmente leciona cinco disciplinas. Para o conselheiro, a sobrecarga de horário para a preparação das aulas ocupa os profissionais em demasia com as atividades de ensino, e acabam comprometendo o tempo que poderiam dedicar ao trabalho de pesquisa e à participação em seleções promovidas por editais de fomento de diferentes instituições, inclusive do IFMA.

Fim do conteúdo da página