Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Colóquio de Línguas encerra programação em São Luís
Início do conteúdo da página Notícias

Colóquio de Línguas encerra programação em São Luís

Evento realizado no Campus Monte Castelo reuniu profissionais da educação para debater sobre inovações na sala de aula
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 02/10/2018 12h45
  • última modificação 03/10/2018 09h08

Imprimir

A terceira edição do Colóquio de Línguas do IFMA ocorreu entre os dias 25 e 28 de setembro (terça a sexta-feira), no Campus Monte Castelo (São Luís), tendo como tema “Formação de professores: por uma renovação do ensino de línguas”. Na palestra de encerramento, Eulália Vera Lúcia Leurquin, da Universidade Federal do Ceará (UFC), tratou da implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e seus impactos na formação do professor.

Organizado pelo Grupo de Estudo, Formação e Linguagem (GEFORLIN, ver abaixo), o evento teve apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA). O objetivo da iniciativa foi constituir um espaço de debate e construção de ações pedagógicas que resultassem em novos procedimentos teóricos, didáticos e metodológicos voltados para o ensino de línguas na educação básica, técnica e tecnológica. Reunindo um público predominantemente de professores de línguas ou disciplinas afins, além de estudantes de graduação e pós-graduação nas áreas de Linguística, Letras e Literatura, a programação do Colóquio incluiu palestras, minicursos, mesas redondas, sessões de comunicação, apresentação de trabalhos (pôsteres) e atrações culturais.

Paula Francineti Ribeiro de Araújo, professora do Campus Monte Castelo e uma das líderes do GEFORLIN, ressaltou que o evento contribuiu para a socialização de trabalhos no âmbito da linguística aplicada. Segundo ela, o principal objetivo foi atingir os professores tanto das redes públicas de ensino (estadual e municipais) quanto dos diversos campi do IFMA. “O Colóquio é um momento em que se discute questões teórico-didáticas referentes ao nosso métier”, disse Paula Francineti, que também compõe a Editora do Instituto (EdIFMA). Ela avaliou positivamente o resultado da iniciativa, destacando questões como a necessidade de aprendizado de conteúdos pelos docentes, ou os impedimentos e conflitos que às vezes emperram o agir em sala de aula. No entanto, a coordenadora observou que ainda há resistência para propiciar espaços de qualificação profissional e formação de docentes voltada para as disciplinas que lecionam, e reforçou que seria importante a maior participação de pedagogos e sobretudo professores.

Sobre a BNCC, Eulália Leurquin argumentou que as orientações normativas vêm sendo implementadas em todo o território nacional, mas os estados e Distrito Federal têm que elaborar seus próprios documentos de forma a abranger as respectivas especificidades regionais. A palestrante integra o Departamento de Letras Vernáculas (DLV) da Universidade Federal do Ceará (UFC), e informou que compõe a equipe interdisciplinar que vem elaborando o texto cearense, sendo responsável pelas orientações relacionadas à Língua Portuguesa. “Temos que trabalhar com o texto, mas não podemos deixar de lado a essência, que é como a língua se movimenta no texto”, disse Eulália Leurquin, ao tratar das principais mudanças na área de línguas (materna, estrangeiras e LIBRAS) trazidas pela BNCC, que orienta o ensino de todas as disciplinas.

A Base Nacional define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da educação básica. Outra mudança relevante da BNCC apontada por Eulália Leurquin diz respeito ao espaço que a oralidade e a análise linguística ocupam nas atividades didáticas, o que reforça a necessidade de formação docente. A palestrante disse que vem acompanhando a realização do Colóquio de Línguas desde a primeira edição, e destacou a escolha criteriosa de temas e o engajamento e mobilização das pessoas envolvidas com a organização. Para ela, outras instituições maranhenses de ensino e pesquisa poderiam contribuir efetivamente com a promoção do evento, a exemplo das universidades.

GEFORLIN

Constituído em 2013 pelo Departamento Acadêmico de Letras (DAL) do Campus Monte Castelo, o GEFORLIN reúne professores, estudantes e técnicos administrativos da área de línguas (Português, Inglês, Espanhol, Francês e LIBRAS), que estudam e pesquisam temas na área de Linguística Aplicada. Refletindo a relação entre discurso, formação e literatura, as atividades desenvolvidas pelo Grupo vêm resultando em projetos de pesquisa e de extensão, além de publicações de artigos e participações em eventos científicos nacionais e internacionais. Desde sua criação, o GEFORLIN promove o Colóquio de Línguas com patrocínio da FAPEMA, propondo ações de intervenção, em especial na didática de línguas, e atuando na formação continuada de professores e na elaboração de materiais didáticos.

registrado em:
Fim do conteúdo da página