Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > IFMA debate formação integrada
Início do conteúdo da página Notícias

IFMA debate formação integrada

No Campus Monte Castelo a Proen reúne GTs para elaboração das matrizes de referências voltadas aos cursos técnicos.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 20/03/2019 11h42
  • última modificação 20/03/2019 11h45

Imprimir

Segundo a pró-reitora Ximena Bandeira (primeira à esq.) há dois anos a Proen discute a temática.

Entre os dias 19, 20 e 21 de março, servidores da Pró-reitoria de Ensino do Instituto Federal do Maranhão estarão reunidos, no auditório Florise Pérola, do IFMA – Campus Monte Castelo – para a realização do I Encontro dos Grupos de Trabalhos de Currículo/2019. No local, debatem a temática Formação Integrada e o papel dos Institutos Federais.

Em sua fala, durante a abertura do encontro, a pró-reitora de Ensino, Ximena Paula Bandeira, lembrou que esta atividade teve início em reunião técnica da Proen – ainda no final de 2016 – quando foi abordada a necessidade de se constituir GTs para discutir currículo. “Em 2019 temos a culminância de um trabalho, que se estende ao longo de mais de dois anos. Aqui congregamos servidores que compõem os doze GTs por eixos tecnológicos e demais membros de comissão central. Juntos, buscamos consolidar um cronograma que tem como meta construir matrizes de referências para os cursos técnicos”, explica Ximena Bandeira. Segundo ela, atualmente no IFMA há matrizes diferentes para os mesmos cursos.

Encontro congrega servidores que compõem os doze GTs por eixos tecnológicos.

A pedagoga Sônia Pedroni aponta que a partir desta quarta-feira, 20, a Proen apresentará propostas para o desenvolvimento do trabalho nos GTs, seguindo uma metodologia para elaboração de matrizes de referência. Neste sentido, os participantes buscarão respostas para perguntas como: Que profissional desejamos formar? Com qual perfil? Onde atuará?

“Tendo em vista que os conhecimentos se organizam numa totalidade, então que conhecimentos serão necessários para formar o perfil do profissional que queremos?”, questiona Pedroni. Na programação consta ainda relatos de experiência, orientações para o trabalho nos grupos, trabalhos por eixo tecnológico e apresentação do perfil do egresso por eixo. Ximena Bandeira complementa que, após elaborado os perfis profissionais de todos os cursos técnicos, provavelmente em abril haja uma nova etapa de reunião, desta vez por polos, dando continuidade aos trabalhos.

Mesa redonda

A abertura das ações, na manhã desta terça-feira, 19, foi marcada pela discussão em torno dos referenciais teórico-políticos que norteiam os IFs e o caminho a percorrer frente à reforma do Ensino Médio.

A mesa redonda – mediada pela chefe do Departamento de Educação Profissional Técnica de Nível Médio da Proen – Maria Alice Cadete contou com a presença da professora do IFMA – Campus Centro Histórico – Luciene Amorim Antônio. Ao examinar a Lei 11.892/2008, que Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e cria os Institutos Federais, destacou a autonomia em todas as esferas, ênfase nos cursos técnicos integrados, verticalização, pesquisa aplicada e processos que levam à emancipação do cidadão.

“Essa discussão em cima do que são os institutos e diante da reforma do Ensino Médio é importante para sabermos até que ponto nós, da Rede Federal, precisamos nos adequar nesta reforma”, pontuou o professor Rogério Teles. Ao discutir a temática e os entraves de sua reestruturação, falou sobre Base Nacional Comum Curricular e estudos que incluem os currículos do ensino médio.

 

Fim do conteúdo da página