Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > PRPGI reúne diretores de pesquisa dos campi
Início do conteúdo da página Notícias

PRPGI reúne diretores de pesquisa dos campi

Encontro com representantes das unidades abordou diversos temas relacionados ao campo de atuação
  • Augusto do Nascimento
  • publicado 17/04/2019 12h15
  • última modificação 17/04/2019 12h45

Qual o atual panorama e as perspectivas da produção científica no IFMA? A fim de levantar o debate sobre esta e outras questões relacionadas, a Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (PRPGI) envolveu representantes de todos os campi e campi avançados do IFMA, que lidam em âmbito local com as áreas alcançadas pela pasta sistêmica. A reunião de trabalho ocorreu no auditório da Reitoria, de 10 a 12 de abril (quarta a sexta-feira).

Segundo a pró-reitora Natilene Brito, a reunião é realizada anualmente com o propósito de alinhar as ações de pesquisa, inovação e pós-graduação nos campi com as diretrizes da PRPGI. Outro ponto destacado pela gestora foi a participação do Comitê Científico de Pesquisa e Inovação, em vista de temas como regulamentações e os aspectos jurídicos dos processos terem sido tratados, sendo importante difundir entre os diretores a compreensão desses procedimentos no âmbito da Pró-reitoria. “Esse é um momento também de termos um feedback [dos diretores de pesquisa]. Como eles estão na ponta, onde as pesquisas estão acontecendo, de que forma podemos melhorar nossos processos e realmente ter ações mais efetivas?”, disse Natilene Brito, reforçando que dessa forma é avaliado se os objetivos propostos estão sendo atingidos, definindo-se eventuais mudanças que promovam o crescimento da pesquisa, pós-graduação e inovação nas unidades do Instituto.

Sobre os avanços registrados nessas áreas desde a reunião de trabalho anterior, a pró-reitora ressaltou o crescimento no número de submissões à PRPGI de propostas de projetos de pesquisa pelos campi. Para ela, esse incremento resultou da maior integração dos respectivos diretores de área, os quais ampliaram a percepção de que constituem uma equipe e também fazem parte do processo, refletindo-se ainda no maior engajamento de estudantes e servidores. Natilene Brito ponderou que o crescimento quantitativo deve desdobrar-se na melhora qualitativa dos projetos, com impacto positivo nos indicadores de avaliação das unidades do Instituto.

Abrangendo uma diversidade de temáticas relacionadas às frentes de ação da PRPGI, e contando com a participação de outros setores do Instituto, a programação da reunião tratou ainda de assuntos como a política editorial; projeto estratégico Fábrica de Inovação; questões referentes à ética na pesquisa; aspectos jurídicos envolvendo os processos e procedimentos da Pró-reitoria; editais de fomento internos e externos; implementação e acompanhamento de programas de pesquisa e inovação tecnológica (a exemplo do PIBIC e PIBITI); metodologias e processos de avaliação; operacionalização do Sistema Unificado de Administração Pública (SUAP). Além das exposições de orientação, os participantes participaram de grupos de trabalho para discutir temas específicos, e elegeram o corpo diretivo do Comitê Científico.

Coordenadora da reunião e diretora de Pesquisa na PRPGI, Lígia Cristina Ferreira Costa avaliou como positivo o encontro com os representantes dos campi, sobretudo em vista dos encaminhamentos que se seguiram às discussões. Dentre esses, a proposta de descentralização dos editais de pesquisa configura uma estratégia inovadora para 2019. A diretora explicou que foram desenvolvidos modelos padrões para implementação nas unidades do Instituto, em parceria com a Pró-reitoria, tendo sido alinhadas propostas entre ambas as partes e o Comitê Científico, instância de caráter consultivo (não deliberativo) no assessoramento às ações e políticas da PRPGI. Sobre o Comitê, Lígia Costa enfatizou ainda como fator relevante a eleição do corpo diretivo durante a reunião, bem como a aprovação de uma agenda de atividades para este ano, abrangendo não apenas a validação de projetos de pesquisa e inovação, mas o atendimento de outras questões relacionadas.

Participantes

“Consideramos que o Comitê Científico do IFMA tem amadurecido, o número de pesquisas, de áreas [de conhecimento] e participantes [nos projetos] tem crescido”, disse Dayana dos Santos Delmiro Costa, do Campus São José de Ribamar. Ela foi eleita coordenadora do Comitê, ao lado de Luiz Antônio Silva Figueiredo Filho (subcoordenador), médico veterinário no Campus Caxias, e Stefan Hubertus Dorner (secretário-geral), docente da área de Agronegócio no Campus Maracanã. Professora de Sociologia e participante do Comitê desde 2010, Dayana Delmiro observou ainda o aumento no quantitativo de membros oriundos da área de Ciências Humanas ao longo dos anos.

Convidada da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), Aline Silva Andrade Nunes assessora a instituição em questões de planejamento e ações estratégicas, e apresentou as oportunidades abertas pelos diversos editais a pesquisadores do Maranhão. De acordo com ela, a parceria com a FAPEMA tem contribuído significativamente para avanços no Instituto, através do crescimento na área da pesquisa, publicações e participações em eventos científicos, bem como na socialização do conhecimento produzido por seus pesquisadores. “Queremos cada vez mais contribuir com esse processo, também integrando outras ações junto com o IFMA, no sentido de progredir nesse campo do universo da ciência”, disse Aline Nunes.

A assessora da FAPEMA destacou também a relevância de socializar o conhecimento em trono dos editais com os coordenadores de pesquisa nos campi, por constituírem agentes multiplicadores de informações advindas dos órgãos de fomento, além de auxiliarem na elaboração de projetos, implementação de bolsas, observância a prazos, dentre outras atividades. Aline Nunes informou que nos últimos quatro anos houve um crescimento aproximado de R$ 3 milhões na captação de recursos da Fundação pelo IFMA, contribuindo principalmente com a interiorização do desenvolvimento científico em diversas regiões maranhenses.

Fim do conteúdo da página