Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Ex-aluna do IFMA ganha prêmio de melhor tese no ITA
Início do conteúdo da página Notícias

Ex-aluna do IFMA ganha prêmio de melhor tese no ITA

Michelle Galvão foi aluna do Curso Superior em Engenharia Industrial Mecânica, no Campus Monte Castelo. Tese apresenta estudo inédito e inovador para prevenção de acidentes aéreos.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 03/07/2019 11h13
  • última modificação 03/07/2019 12h14

Imprimir
A ex-aluna do Instituto Federal do Maranhão, Michelle Galvão, recebeu prêmio de Melhor Tese de Doutorado do Programa de Pós-graduação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Ela foi premiada pelo trabalho “Modelo de Acidente de Saída de Pista em Pouso de Aeronaves de Médio e Grande Portes”, que foi defendido em 2018 no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica, sob orientação dos professores Anderson Ribeiro Correia, do ITA, e Marcelo Ramos Martins, da Universidade de São Paulo (USP).

Reitor do ITA entregou para Michelle Galvão o prêmio de melhor tese de doutorado.

Michele Galvão tem graduação em Engenharia Industrial Mecânica, pelo IFMA. Ela estudou na instituição de 1997 a 2003. Atualmente, é pesquisadora do Laboratório de Análise, Avaliação e Gerenciamento de Risco (LabRisco), da Universidade de São Paulo (USP), desde 2013, e também pesquisadora-colaboradora no programa de pós-doutorado no ITA.

Para a ex-aluna do IFMA, o prêmio representa um reconhecimento valioso para a vida profissional. “É fruto da dedicação e da paixão pela pesquisa desenvolvida durante os anos de doutorado. É a sensação de dever cumprido com excelência, um reconhecimento ímpar dentro do Programa de Pós-Graduação do ITA”, disse.

Michelle Galvão recebeu certificado de melhor tese e diploma de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica do ITA.

Estudo inédito e inovador

O principal destaque do trabalho, segundo explicou  Michelle Galvão, foi o desenvolvimento de um modelo de acidente para saída de pista de aeronaves de médio e grande portes, que permitisse obter a probabilidade de ocorrer um acidente dada a evidência de erro na ação do piloto, da companhia aérea, de condições adversas da infraestrutura aeroportuária e de condições adversas ambientais no âmbito da aviação comercial de passageiros. Isto torna o modelo proposto na tese diferente da maioria dos modelos tradicionais, que consideram apenas as falhas no hardware ou que não explicam, de modo satisfatório, a inter-relação entre os fatores influenciadores na falha do operador. “Então, por meio do modelo desenvolvido é possível obter o impacto dos fatores que podem levar a um acidente dessa natureza, além de contribuir para a avaliação do sistema durante a fase operacional”, informou a autora da tese.

 Para a pesquisadora, o caráter inovador da tese e o reflexo produzido pelo trabalho garantiram a premiação. “Uma das exigências do doutorado é poder contribuir com uma pesquisa acadêmica inovadora. A tese tem esse caráter inovador, pois utilizou um método de inteligência artificial na análise do erro em operações de pilotos em pouso de aeronaves de médio e grande portes. Um estudo inédito no país, a frente de outros estudos semelhantes que seguem uma linha mais conservadora”, disse.

A ex-aluna do IFMA trabalha com análise, avaliação e gerenciamento de risco na aviação.

Michelle Galvão também acredita ser importante que um trabalho de mestrado e doutorado possa ter seus reflexos em produtos gerados para a sociedade. “Tais produtos promovem a pesquisa da instituição, o projeto em que está inserido o trabalho, o órgão de fomento, os pesquisadores, além de contribuir com o conceito da instituição no âmbito nacional e internacional”, justificou.

A tese da ex-aluna do IFMA fez esse papel ao longo do curso. Além disso, a pesquisa rendeu palestras, minicurso, artigos aprovados dentre melhores revistas nacionais e internacionais e capítulo de livro internacional.  Por causa do trabalho, a pesquisadora também participou de comissões julgadoras de projetos, de equipes de análise de artigos internacionais e nacionais com o mesmo teor do tema da tese, entre outros. “Foram muitos convites dentro do âmbito do tema do trabalho, todos esses produtos também fazem parte da análise da comissão julgadora para a premiação da Tese. Então, além da característica inovadora que a tese apresentou, todos os produtos gerados por ela foram parte do conjunto de análise apreciados pela comissão julgadora da premiação de melhor Tese de doutorado do Programa de Pós-graduação do ITA do ano de 2018”, relatou a autora.

Segundo explicou Michelle Galvão na tese, a motivação para a pesquisa surgiu da observação do grande número de ocorrências observadas em excursões de pista.  “É grande a preocupação com acidentes desta natureza no Brasil e no mundo. Vale lembrar o fatídico acidente da aeronave TAM-3054 ocorrido em 17 de julho de 2007, no Aeroporto de Congonhas/São Paulo, onde ocorreu o evento landing overrun, quando a aeronave não se deteve na pista e chocou-se com um edifício durante o pouso”, descreveu.

Influência do IFMA

Michelle Galvão relatou a influência do IFMA em sua vida acadêmica e profissional e das dificuldades emocionais em ter de estudar longe da família. “Fui aluna da 1ª turma de Engenharia Mecânica Industrial. Que turma maravilhosa, que saudades sinto de tudo isso. Quando entrei no CEFET-MA (sim eu sou do tempo do CEFET!), várias possibilidades se abriram para que eu pudesse escolher o caminho a seguir. Eu queria explorar todas as possibilidades dentro do curso de Engenharia Mecânica Industrial, lembro que tive apoio de todos os professores que conversei sobre realizar mestrado e doutorado no ITA ou em outra universidade renomada. Não desisti desse sonho. No entanto, tive que abri mão de momentos importantes na minha vida, do convívio com a família e com amigos em alguns momentos. Não foi fácil, nem a graduação, nem o Mestrado e tampouco o Doutorado, mas foram desafios que me encheram de alegria, e a cada etapa vencida eu me sentia mais realizada”, declarou.

Para a pesquisadora, a base acadêmica, construída ainda na graduação, contribui muito para a vida profissional. “Seja em uma empresa, em uma instituição de pesquisa e tecnologia a referência principal vem, primeiramente, da graduação. Não são as aulas de cálculo propriamente dita, mas a postura profissional, ser proativo, fazer tudo com perfeição, com paixão é o que devemos ter em mente desde os primeiros momentos na graduação. A responsabilidade que é construída pelo aluno dentro do curso, a fluência do curso que cada um vai obtendo até se tornar engenheiro. Hoje eu sei que escolhi o curso certo, me sinto uma profissional completa sendo engenheira e vivendo a engenharia por meio de pesquisas e consultorias. Aprendi muito no Mestrado e no Doutorado, mas não conseguiria realizar os mesmos sem a formação que tive, e sem a responsabilidade profissional que assumi durante a graduação. Tenho orgulho da minha instituição, o IFMA, e de todo o corpo docente que tive. Isso sempre fará parte da minha vida”, disse.

A pesquisadora explica que seus pais a incentivaram a estudar aviação e que um dos principais programas da família era assistir a decolagens e aterrissagens de aeronaves no aeroporto de São Luís.

Ela também comentou que o Curso de Engenharia do IFMA lhe proporcionou ferramentas importantes para que pudesse escolher um direcionamento acadêmico e profissional. “Eu sempre quis estudar aviação. A paixão vem do tempo de criança, quando meus pais me levavam para ver os pousos e decolagens das aeronaves no aeroporto de São Luís durante os fins de semana. Era o nosso programa favorito”, relembrou.  

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página