Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Estudantes e professores prestam homenagem a Rivas Mercury
Início do conteúdo da página Notícias

Estudantes e professores prestam homenagem a Rivas Mercury

Falecido em 6 de agosto, o professor deixa uma marcante trajetória profissional
  • Cláudio Moraes
  • publicado 16/08/2019 17h50
  • última modificação 16/08/2019 17h58

Imprimir
Resultado de imagem para jose rivas mercury

“Pois seja o que vier, venha o que vier,
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar”

 

Foi sob a poesia de Milton Nascimento que se iniciou a sessão de homenagens ao professor Jose Manuel Rivas Mercury, na tarde de quinta-feira, 15, no auditório Florise Pérola. Servidores e estudantes do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Campus São Luís Monte Castelo, realizaram uma cerimônia com discursos e orações, em memória do professor falecido no dia 6 de agosto, em São Paulo.

 

“As pessoas se alegram com a inteligência, apreciam o teu caráter, mas o que faz alguém inesquecível é o amor”, afirmou a professora Regina Muniz, do Departamento de Química do campus, referindo-se ao sentimento que o homenageado nutria pela instituição, por seu trabalho, estudantes e servidores.

 

O professor Agenor de Almeida Filho, diretor executivo do IFMA, compareceu ao ato representando o reitor Roberto Brandão. “É uma homenagem a um amigo”, afirmou. “Trata-se de uma amizade construída na década de 90, quando ele exerceu cargo de gestão, na base do companheirismo e da fidelidade”, informou. “Ele teve uma grande atuação na pós-graduação do IFMA, ainda em sua fase embrionária”, ressaltou. “Ele também tinha uma grande capacidade de agregar, uma pessoa que fazia amizade muito fácil”, ressaltou. “Era uma pessoa amiga de seus colegas de trabalho e seus alunos”, pontuou. “Havia disputa pra saber quem seria orientado pelo professor Rivas”, relembrou.

 

“Ele deixa uma lacuna muito grande em nossa instituição, também, em relação à pesquisa, ao ensino e à extensão”, prosseguiu. Agenor sugeriu, ainda, que fosse prestada homenagem com a nomeação de alguma dependência do Campus Monte Castelo com o seu nome. “Seria uma homenagem muito justa, em reconhecimento ao que ele representa para a instituição”, avaliou.  “A reitoria reconhece os grande serviços que o professor Rivas prestou ao IFMA e que, com certeza, será sempre lembrado por tudo o que realizou em nome da ciência, concluiu.

 

Profissionalismo e companheirismo

 


O professor de Filosofia Jorge Leão fez uma reflexão a partir do livro bíblico do Eclesiastes. “O amigo fiel vale mais que o outro e a prata”, citou Jorge. “O professor Rivas sempre contribuiu muito com a ciência, se destacando por seu compromisso”, afirmou. “Mas o principal, além de sua produção científica, é a sua amizade que vai se eternizar em nossos corações”, prosseguiu. “Os laços de amizade são imperecíveis, o tempo não irá corroer”, disse.

Jorge apresentou, ainda, a sua visão pessoal acerca da morte. “Não vejo a morte como fim, nem como o contrário da vida”, pontuou. “O contrário da vida é não perdoar, não se doar”, refletiu. E lembrou o personagem bíblico Lázaro. “Aquele que está morto, ainda vive”, disse.

Ainda para Jorge Leão, atualmente as pessoas já não fazem nada por sentimentos nobres. “Hoje as relações estão desgastadas, mas Rivas fazia tudo por amor”, ressaltou. ”Será que nós também fazemos o que fazemos por amor ?”, provocou. “Hoje é tudo fluido, usam-se as pessoas e depois as descartamos”, assinalou. “Vamos aproveitar essa passagem do nosso amigo e fazer essa reflexão”, sugeriu.

Após a canção do Pai Nosso, como prece ecumênica, o professor Ernandes Paiva, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Materiais, prestou a sua homenagem a Rivas. “Se fosse retratar tudo o que ele fez, ficaríamos dias e dias aqui”, iniciou. Ele destacou as ações institucionais de Rivas, a sua carreira, a busca incessante por investimentos em equipamentos de ponta e o seu legado no âmbito da pesquisa. ”Em 2019 foram publicados dois artigos internacionais, de um total de 42 publicações”, pontuou.

Ernandes ressaltou ainda os registros de patentes obtidas, as 28 participações em bancas de mestrado e 8 em doutorado e o seu compromisso com várias instituições. “As suas ações tiveram sucesso pelo apoio de sua família”, ressaltou.
“O tempo passa, mas as pessoas especiais não são esquecidas”, afirmou. “Você está presente em nossas vidas como uma estrela que brilha no céu”, emocionou-se. Em seguida recitou “Um ausente”, de Carlos Drummond de Andrade.

 

“Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
(…)
Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.”

 

Professor e mestre 


O ex-aluno do homenageado, Mauro Romero, que cursou Química no IFMA, ente 2010 e 2012, compareceu ao ato para também prestar a sua homenagem. “Foi o meu segundo pai”, afirmou. “Falava com muito amor sobre a engenharia”, ressaltou. “Com a sua fala firme, tinha um coração aberto aos alunos”, prosseguiu. “Ele se dedicou integralmente ao IFMA e me ensinou muito mais que Engenharia Química, me orientou para a vida”, frizou.  “Além de educador e pesquisador, era um exemplo de pessoa”, disse.

“Professores, os alunos olham para o professor como exemplo e o poder que vocês tem é muito grande”, observou. “Deus o escolheu para ser professor e deixar o seu legado, dedicou-se integralmente ao que fazia e fazia com amor e maestria”, sentenciou sobre o antigo mestre.

 


Trajetória profissional

O professor Rivas deixa viúva e filhas

José Manuel Rivas Mercury era professor titular (2017) do Departamento de Química do Instituto Federal do Maranhão (IFMA). Pós-doutorado em Mineralogia Aplicada no Instituto de Geociências da UFPA (2010). Doutorado em Química pela Universidade Autônoma de Madri, Espanha (2004). Mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Pará (1995). Especialização em Engenharia de Materiais pela Universidade Federal de São Carlos (1992). Graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Pará (1987).

Foi professor e coordenador do programa de Pós-Graduação em Engenharia de Materiais (Mestrado) do IFMA, Bolsista de Produtividade em Pesquisa (BEPP) da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA).

Era consultor ad hoc da FAPEMA e do Instituto Federal Farroupilha e Revisor cientifico das revistas Revista Escola de Minas, Cerâmica, Extensão em Foco, Revista de Ensino de Engenharia, Journal of the American Ceramic Society, Industrial & Engineering Chemistry Research e Journal of Thermal Analysis and Calorimetry.

Foi membro efetivo da Academia Maranhense de Ciências.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página