Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Inspeção animal e vegetal é debatida em palestra no Campus Maracanã
Início do conteúdo da página Notícias

Inspeção animal e vegetal é debatida em palestra no Campus Maracanã

  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 20/08/2019 13h34
  • última modificação 20/08/2019 13h34
Imprimir

Na grande de São Luís, apenas 52 estabelecimentos possuem o Selo de Inspeção Municipal (SIM) para produtos de origem animal ou vegetal. Três desses selos foram conquistados pelo Instituto Federal do Maranhão (IFMA) – Campus São Luís Maracanã, para a Unidade de Beneficiamento do Mel e para os abatedouros de aves e de ovinos e caprinos. Os dados foram apresentados pelo superintendente de Defesa e Inspeção Animal e Vegetal da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Francisco das Chagas Soares, em palestra realizada na sexta-feira (16), para alunos do campus.

O selo de inspeção é uma garantia de que o produto está apto ao consumo. “Quando uma matéria-prima vai ser beneficiada ou processada, são feitos exames e adotadas técnicas para assegurar a qualidade dos alimentos que chegarão à mesa dos consumidores”, explicou o superintendente, que é médico veterinário e mestre em Ciências Animais. Também fazem parte do trabalho de inspeção a orientação dos produtores, a vistoria de estabelecimentos, documentos e licença ambiental, a certificação de produtos, a fiscalização e interdição de estabelecimentos clandestinos e educação sanitária.

De acordo com Francisco Soares, em animais, as principais causas de condenação do produto são doenças como a brucelose e a tuberculose. O aparecimento dessas enfermidades provoca impacto econômico e pode significar risco à saúde de quem consumir. “Fornecer produtos com inspeção é questão de saúde pública”, afirmou a diretora-geral do Campus Maracanã, Lucimeire Amorim Castro, também doutora em Ciências Animais.

No campus, os cursos ofertados trabalham com toda a cadeia produtiva, desde o cultivo dos vegetais ou criação dos animais até o preparo para consumir, fase experimentada no Curso Técnico em Cozinha, por exemplo. “Aqui, nossos alunos podem vivenciar e praticar toda essa cadeia produtiva nos laboratórios e nas unidades educacionais de produção. Nos três estabelecimentos com inspeção, eles acompanham os processos que asseguram segurança aos alimentos destinados ao consumo”, frisou Lucimeire. Ela anunciou que a produção de ovos é a próxima a ser submetida à concessão do SIM.

Parcerias

Além de servir às aulas práticas, as unidades do Campus Maracanã com selo de inspeção também têm processado aves, ovinos e caprinos para grandes redes, como o Supermercado Mateus e a Fribal, e para os pequenos produtores locais, em especial os que fornecem ao próprio instituto e a instituições do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

O secretário municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Ivaldo Rodrigues, participou do evento e falou sobre o interesse em aproximar a cadeia produtiva de São Luís com instituições de pesquisa científica. “Queremos, cada vez mais, estimular a relação entre a comunidade científica com o que se produz na cidade, para que nossa capital seja mais sustentável em algumas culturas. Para isso, um dos cuidados que precisamos ter é com a inspeção desses produtos”, ressaltou o secretário.

registrado em:
Fim do conteúdo da página