Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > UFMA recebe Fórum Integrado de Extensão das IES Públicas do MA
Início do conteúdo da página Notícias

UFMA recebe Fórum Integrado de Extensão das IES Públicas do MA

Eventos de extensão em conjunto tiverem início no dia 17 e seguem até o dia 21 de setembro.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 20/09/2019 17h21
  • última modificação 20/09/2019 17h38
Imprimir

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA), a Universidade Federal do Maranhão e a Universidade Estadual do Maranhão deram início na última terça-feira (17) ao Fórum Integrado de Extensão das IES Públicas do Maranhão, um evento conjunto de extensão que envolve o VIII Fórum de Extensão Universitária da UFMA, Fórum de Extensão Universitária da UEMA e IV WORKSHOP PROEXT/IFMA. Também ocorre até o dia 21, o 46 Encontro FORPROEX. Todos os eventos acontecem na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O objetivo do fórum é discutir a realidade da extensão universitária no intuito de abordar temáticas relacionadas ao papel da extensão para a integração entre universidade e sociedade e o desenvolvimento; e a integralização curricular da extensão universitária, de acordo com o que preconiza o Plano Nacional de Educação (PNE 2014-2024).

O Fórum Integrado conta em sua programação com conferências, apresentações de posters, comunicações orais, mesas redondas, oficinas e programação cultural. A apresentação dos trabalhos de posters e comunicações orais acontece simultaneamente na UFMA de São Luís e Imperatriz, na UEMA de Caxias e Bacabal e no IFMA de Timon, Codó, Pedreiras e Barreirinhas. O evento teve quase 700 inscritos e cerca de 250 trabalhos apresentados. A solenidade de abertura foi realizada na manhã da terça-feira e contou com  a presença do pró-reitor de Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade Estadual do Maranhão, Paulo Aragão Catunda, do pró-reitor de Extensão do IFMA, Fernando Lima, das pró-reitoras de Ensino e Extensão da UFMA, Dourivan Camara Silva e Dorlene Cardoso de Aquino, respectivamente, e da reitora da UFMA, Nair Portela. Antes da composição da mesa, apresentaram-se no palco os solistas da Orquestra de Violão da UEMA.

Em seu discurso, o pró-reitor do IFMA, Fernando Lima comentou a respeito da importância da extensão e do poder transformador que ela tem na vida das pessoas. “É isso que me motiva a ser pró-reitor de extensão, essa integração entre o ensino, pesquisa e extensão. É uma harmonia necessária para a formação dos nossos alunos, trabalhamos e desenvolvemos pessoas. Nós como instituições nos juntamos pela necessidade de partilhar as atividades comuns da extensão, para mostrar que existem instituições realizando transformação na vida de pessoas”, declarou ele. O pró-reitor da UEMA, Paulo Catunda, enfatizou em sua fala o desafio de promover o Fórum “foi vencido pela união das três instituições, em um trabalho conjunto, que reflete a preocupação com o desenvolvimento do estado, uma vez que a extensão tem esse poder transformador na sociedade”.

A reitora da UFMA e anfitriã do evento, Nair Portela também enfatizou que a extensão modifica de fato a vida das pessoas. “O desenvolvimento social é muito importante no alcance da garantia dos direitos fundamentais. Fui extensionista, foi uma experiência extremamente importante que nunca vou esquecer. É uma forma espetacular de se trabalhar na universidade, com a solução de dificuldades e problemas da sociedade. Porém, é importante frisarmos que extensão não se faz sozinho, deve haver diálogo direto e imediato com a comunidade, conectando-se com a realidade destas. é é esse o grande objetivo desse evento, estimular trabalhos que favoreçam a integração do social e o desenvolvimento econômico regional”, concluiu.

Com o tema “Extensão: integrar para desenvolver”, a palestra de abertura foi ministrada pelo professor Fernando Arthur de Freitas Neves, da Universidade Federal do Pará. Ele enfatizou durante a palestra que o formato atual da extensão brasileira é um modelo próprio, construído pelos próprios brasileiros, e que outros países da América do Sul vêm seguindo. “devemos criar pontes de comunicação com a sociedade, criar mecanismos de legitimação para que a sociedade tome conhecimento do que nós estamos propondo. Na Suécia, a  cada dois anos, as universidades convocam representantes da sociedade para apresentar os projetos pedir a opinião. Isso é necessário para que todos saibam como o dinheiro da universidade está sendo empregado”, explica ele. Fernando argumentou ainda que “a extensão é capaz de absorver os diferentes usos e costumes que são mobilizados pelas populações tradicionais. É tarefa da extensão atrai-las e dar a elas um retorno. As diretrizes da extensão têm grande impacto na formação do estudante”. afirmou.

 

registrado em:
Assunto(s): Extensão , Fórum , IFMA , UEMA , UFMA
Fim do conteúdo da página