Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Campus Caxias sedia II Fórum de Graduação do IFMA
Início do conteúdo da página Notícias

Campus Caxias sedia II Fórum de Graduação do IFMA

Durante dois dias, estudantes de 18 unidades – que oferecem cursos de graduação – discutiram a missão do ensino superior no IFMA e Brasil
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 02/12/2019 11h47
  • última modificação 02/12/2019 11h47

Imprimir

Reitor do IFMA, Roberto Brandão: movimentos estudantis precisam acontecer,

O Instituto Federal do Maranhão – Campus Caxias – foi palco para o II Fórum dos Estudantes de Graduação do IFMA, realizado nos dias 28 e 29 de novembro. O evento, organizado pela Pró-reitoria de Ensino, por meio da Diretoria de Assuntos Estudantis, teve como objetivo promover um espaço de diálogo e integração dos estudantes, possibilitando reflexão sobre a identidade do ensino superior no Instituto e no país, seus avanços e desafios atuais.

A solenidade de abertura oficial contou com participação do reitor Roberto Brandão que, na presença de gestores e estudantes, representantes de 18 campi, destacou a significativa participação de todos os alunos no debate, de modo a ressaltar a importância dos Institutos Federais no Brasil. “Aqui vamos proceder sobre como agir com uma organização dessa magnitude, que faz pesquisa, ciência e inovação”.

Em seu discurso, mencionou a necessidade de alcançar os mais distantes lugares do Maranhão, onde seja possível levar educação de qualidade, ratificando o poder de transformar vidas. Para onde vamos? Questionou o reitor. Segundo ele, o caminho natural é ir para o mercado de trabalho, fazer extensão, pós-graduação, participar das internacionalizações por meio de intercâmbios e, por que não, dos movimentos estudantis, que precisam acontecer, conciliando formação pessoal e política.

Ao tratar das instâncias representativas como Centros Acadêmicos, lembrou aos coordenadores e presidentes que o Fórum é o espaço para fazer valer ações, debater conjuntura estadual, nacional e demais problemas do movimento estudantil. “É necessário criar um modelo próprio do IFMA, onde o C A de cada curso institua seu Diretório Central, como espaço de movimentos, debates, apresentação de propostas e disputas políticas em nível de Brasil, definindo, assim, uma linha de diálogo”.

Pró-reitor Carlos Cezar Ferreira: “Deste encontro sairão novas ideias, bases para a elaboração de políticas públicas.

O pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional do IFMA, Carlos Cezar Ferreira, observou que dos 29 campi do IFMA, 20 oferecem cursos superiores. “É a possiblidade de termos educação transformadora nos municípios. Vocês são os profissionais do futuro, preparando-se para enfrentar desafios”, disse o gestor, enfatizando a necessidade de uma formação humanística, direcionada para a vida e meio ambiente, capaz de ajudar o mundo a sobreviver.

Uma retrospectiva histórica do IFMA – Campus Caxias – foi detalhada pelo diretor João da Paixão Soares, que registrou a trajetória da escola desde 2010, quando iniciou suas atividades no município. Hoje oferece licenciaturas, bacharelados, pós-graduação latu sensu e um ensino verticalizado, com destaque na pesquisa. “Deste encontro sairão novas ideias, bases para a elaboração de políticas públicas em várias áreas, formação de recursos humanos, produção e disseminação de conhecimentos”, pontuou.

A diretora de Assuntos Estudantis, Dayse Araújo, recordou que a primeira edição do Fórum aconteceu no IFMA – Campus Maracanã, em 2016. “Estamos construindo um novo capítulo na nossa história”. Ao analisar os números, apontou que na faixa-etária entre 18 e 24, apenas dezoito por cento dos brasileiros estão matriculados em universidades. “Ainda é uma realidade desafiadora levar esta modalidade de ensino aos brasileiros sem acesso aos cursos superiores”. Ressaltou que a mobilização coletiva de estudantes frente aos principais assuntos nacionais favoreceu a expansão das vagas nas universidades públicas.

Diretora de Assuntos Estudantis, Dayse Araújo, fez uma retrospectivas dos movimentos estudantis

“Durante estes dois dias vamos discutir qual a nossa participação nesta sociedade, o que isso significa para os municípios e para o Brasil, que contexto é este que vivenciamos, falamos de pessoas que se esforçaram muito para entrar na universidade”. Neste sentido, interrogou o que isto traz enquanto saúde mental, desafios das tecnologias, entrega de Trabalhos de Conclusão de Curso, mercado de trabalho. “Sintam-se acolhidos e abraçados. Este evento foi pensado, desde o ano passado, para vocês e posicionado como prioridade pela Reitoria no sentido de proporcionar uma gestão participativa”.

A estudante do curso de Licenciatura em Química do Campus Caixas, Daniela Sousa, agradeceu a presença dos colegas de todos campi, convidando-os a participar das mesas de diálogos. Para Suane Silva, que está no oitavo período de Química do mesmo campus, a expectativa foi de interação e discussão sobre melhoria dos cursos, bem como a participação dos novos alunos que adentram ao ensino superior. Brendo Sampaio, que estuda Física no IFMA – Campus Santa Inês – queria saber mais sobre as novas políticas para os Institutos Federais. “Estou aqui para conhecer as realidades e interagir com colegas de outros campi”.

Diálogos e perspectivas     

Mediadora da mesa de diálogos “O cenário atual do ensino superior no Brasil: desafios e perspectivas para o IFMA” Mayara Anunciação, chefe do Departamento Artístico-cultural de Desporto e Lazer, evidenciou o momento como necessário para discutir e refletir o atual contexto da educação superior no país. “Estamos aqui para pensar mudanças que colaborem com a formação cidadã, de excelência profissional e humanista”.

Professores e gestores discutem o cenário atual do ensino superior no Brasil

Da conversa interativa participaram o professor do IFMA – Campus Monte Castelo, Rogério Teles e o pró-reitor Carlos Cezar Ferreira. Na ocasião, Teles assinalou “O cenário atual do ensino superior no Brasil: desafios e perspectivas para o IFMA”, onde discorreu sobre o histórico da instituição, mostrando que a Rede Federal pintou o país com pontos de presença em mais de 600 municípios brasileiros. Ao tratar de esperança, mostrou que ela está na juventude e que é preciso estar atento, pois os alunos são extremante importantes neste processo. “O IFMA somos todos nós. Se estamos bem, o mérito não é somente dos gestores, mas também dos discentes, que têm responsabilidades”. Uma delas, segundo Teles, é auxiliar no combate a evasão escolar. “O estudante pode motivar a volta do estudante e garantir o acesso. Precisamos ser IFMA”.

Carlos Cezar sinalizou que a estrutura de ensino e de professores qualificados com olhar de planejamento vai fazer a diferença dentro da instituição. “Possuímos a melhor estrutura de governança dentro do estado, com corregedoria, ouvidoria e conselhos para que possamos formar alunos nos diversos níveis e modalidades”. Enfatizou que em 2016 a Reitoria inovou, transformando a estrutura organizacional da instituição por meio da criação do Planejamento Estratégico com suas ferramentas acadêmicas e que irão proporcionar o crescimento do IFMA, alterando suas referências estratégicas: missão, visão e valores.

Durante a abertura, o grupo de teatro “Encena” realizou a dramatização relacionada ao preconceito racial, abordando personalidades – opressores e oprimidos – que marcaram a história.

Participaram ainda da cerimônia a chefe do Departamento de Ensino Superior, Goretti Mesquita, o diretor de Desenvolvimento Educacional, Raimundo Filho, chefe do Departamento de Ensino, Carlos Eduardo, representante da União Nacional dos Estudantes, Artur Mendes e demais professores e técnico-administrativos do IFMA.

Paralelamente às atividades ocorreram discussões sobre a importância da organização estudantil na Rede Federal, Enade e a avaliação do Ensino, rodas de conversa que trataram de saúde mental, educação e afrodescendência, experiências exitosas nos cursos de graduação, palestras, oficinas, workshops, minicursos, além de plenárias com apresentação dos debates das lideranças e demais encaminhamentos.

Marcaram presença alunos dos campi: Açailândia, Alcântara, Bacabal, Barra do Corda, Barreirinhas, Buriticupu, Caxias, Codó, Imperatriz, Santa Inês, São João dos Patos, São José de Ribamar, Centro Histórico, Maracanã, Monte Castelo, São Raimundo das Mangabeiras, Timon, Zé Doca.

Galeria de Imagens – II Fórum de Graduação

 

Fim do conteúdo da página