Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Comunidade de Caxias inaugura nova biblioteca no Campus
Início do conteúdo da página Notícias

Comunidade de Caxias inaugura nova biblioteca no Campus

Entrega do espaço no campus do IFMA teve a participação expressiva de vários segmentos da sociedade
  • Augusto do Nascimento | Imagens: Pedro Henrique Costa
  • publicado 20/03/2020 17h48
  • última modificação 20/03/2020 19h52

Imprimir

Os caxienses receberam no último dia 13 (sexta-feira) a nova biblioteca Professor Queirós, inaugurada no campus do IFMA. O evento teve a participação de estudantes e familiares, servidores, gestores, comunidade, além de lideranças. São quase 200 metros quadrados de área do novo prédio, que pretende atender às comunidades de Caxias e da região. Com valor orçado em torno de R$ 2,1 milhões, a execução da obra resultou de recursos de emenda parlamentar do senador Roberto Rocha.

“Mais um espaço da cultura, do conhecimento e do saber, que o IFMA entrega para a comunidade”, disse o reitor Roberto Brandão, que ressaltou o aumento de capacidade da nova estrutura, seis vezes maior que a biblioteca anterior do Campus Caxias, sendo dotada de diversos ambientes para a preservação do acervo. O gestor reforçou que, embora o equipamento tenha sido instalado nas dependências do campus, a intenção é que estudantes da rede municipal e estadual de ensino, além de pesquisadores caxienses e da região, tenham livre acesso às fontes de informação.

Segundo o diretor-geral do Campus Caxias, João da Paixão Soares, a biblioteca Prof. Queirós é certamente a maior na região Leste maranhense. Ele salientou que o auditório servirá para reuniões, aulas e atividades de capacitação para servidores e alunos, além de comunidade externa. “O coração de uma instituição é a biblioteca”, disse o gestor, referindo-se à relevância desse setor para os resultados de avaliações institucionais pelo Ministério da Educação. Por outro lado, a antiga biblioteca será transformada em salas individuais para o corpo docente do campus, que é outro critério considerado pelas comissões avaliativas ministeriais. João da Paixão informou que mais de 2,2 mil alunos do campus serão diretamente beneficiados com o novo espaço.

O nome da biblioteca homenageia o professor Luís Queirós, que foi diretor adjunto da unidade Escolar Municipal Jadihel Carvalho. Em 2011, a escola recebeu as primeiras quatro turmas do campus do IFMA em Caxias, quando ainda não havia prédio próprio para suas atividades iniciais. Já o professor Passinho, que dá nome ao auditório, foi escritor e poeta caxiense, e fundou a Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão. Familiares de ambos os homenageados também participaram da solenidade de inauguração do prédio.

Raimundo Filho, da Diretoria de Desenvolvimento Educacional (DDE), argumentou que a implementação da nova biblioteca, aliada com outras plataformas digitais que conseguimos, é fundamental para a perspectiva de educação integrada dos alunos de cursos técnicos, bem como para a verticalização do ensino para o nível superior e para as atividades de pesquisa. “Essa é uma vertente do Campus Caxias”, disse o diretor, observando a alta taxa de aprovação dos alunos egressos, que agora podem contar com um espaço mais amplo, infraestrutura de rede e condições mais efetivas de pesquisa.

“[A nova biblioteca] É um espaço que propicia um trabalho mais amplo e mais eficaz e de maior qualidade”, considerou Eliana Mendes, bibliotecária do Campus Caxias, apontando para novos serviços que poderão ser oferecidos a partir da entrega do espaço. Ela informou que o Campus Caxias foi selecionado para integrar em 2020 a iniciativa Recode Bibliotecas, voltada para o empoderamento digital de jovens, sendo prevista a oferta de cursos gratuitos a distância para a capacitação que facilite o ingresso no mercado de trabalho. Eliana Mendes relacionou benefícios do novo espaço, como as salas de estudos em grupos, maior disponibilidade de terminais de computador, e ampliação do acervo, com incorporação de bases digitais com milhares de títulos, além da sala de inclusão, com revistas e livros em Braille, audiolivros e computadores adaptados para usuários com necessidades especiais.

Aluno do curso técnico em Administração, João Paulo Leal Lopes preside o Grêmio Estudantil Gonçalves Dias, e ressaltou a carência de bibliotecas públicas no Brasil em comparação com outros países. “O investimento em bibliotecas, [programas de] leitura e desenvolvimento dos estudos é altamente importante para uma nação ter conhecimento e se desenvolver”, refletiu o líder estudantil, para quem a educação é o único meio para um país se desenvolver de fato, erradicando a pobreza. No contexto do Campus Caxias, João Lopes apontou para a necessidade de os estudantes dos ensinos médio e superior encontrarem apoio para suas pesquisas e ampliarem os conhecimentos, inclusive extracurriculares.

 

 

Fim do conteúdo da página