Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Grupo de Trabalho irá discutir formação docente e ampliação da oferta em EAD no IFMA
Início do conteúdo da página Notícias

Grupo de Trabalho irá discutir formação docente e ampliação da oferta em EAD no IFMA

Dados coletados na pesquisa Institucional sobre condições de acesso à internet dos estudantes e o aspecto formativo dos professores para produção de conteúdo digital serão considerados.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 07/05/2020 19h48
  • última modificação 10/05/2020 23h23

Imprimir
Discutir estratégias e implementar ações de formação docente para o desenvolvimento de atividades acadêmicas não presenciais será o foco da atuação de um Grupo de Trabalho (GT) constituído nesta segunda-feira (04.05). A iniciativa faz parte do Plano de Contingência do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) para o enfrentamento dos efeitos da pandemia nas atividades da instituição. Desde o dia 17 de março, o IFMA está com as atividades acadêmicas suspensas por prazo indeterminado, como medida de prevenção ao avanço da Covid. A implantação do GT não significa que ocorrerá o uso do Ensino a Distância (EAD) em substituição às aulas presenciais, possibilidade já descartada.

Acesse a Portaria IFMA nº 1.815, de 04 de maio de 2020 que institui o GT. 

A criação do Grupo de Trabalho foi objeto de discussão entre o Comitê Central de Crise para Enfrentamento do Coronavírus e o Reitor do IFMA, professor Roberto Brandão, a partir de análise primária dos resultados da pesquisa institucional. O grupo pautará seu trabalho tendo como base os dados coletados no mês de abril na pesquisa Institucional sobre as condições de acesso de acesso à internet de estudantes e a habilidade e o aspecto formativo dos professores para produção de conteúdo digital.

“A pesquisa veio demonstrar algo que se esperava. Ofertar EAD hoje para substituir o ensino presencial representa a exclusão de milhares de estudantes.  Entretanto, não há clareza ainda de quando retornaremos com às atividades presenciais. Pensar em alternativas, estratégias e discutir o processo de formação dos professores é olhar adiante”, destaca Roberto Brandão.

Pesquisa

Participaram da pesquisa aproximadamente 80% dos professores (1.435 respondentes) e 30% dos estudantes (9.866 respondentes).

No segmento estudantil, 98% dos respondentes afirmou possuir celular. Porém, mais de 6400 estudantes (65% da amostra) indicou que não possuem pacotes de dados, que não sabem informar ou que possuem em capacidade insuficiente para acesso conteúdos na internet. Quando questionados sobre a disponibilidade de acesso em redes wi-fi, 30% dos respondentes declararam não possuir este acesso.

Clique na imagem para ampliar

 

Já no segmento dos professores, os dados coletados indicam que 40% da amostra informou não possuir conhecimento no uso de ferramentas e de plataformas para EAD.  Mais de 50% dos docentes também declarou não ter participado de uma inciativa de ensino não presencial.

Clique na imagem para ampliar

 

Acesse aqui as respostas do Segmento Discente

Acesse aqui as respostas do Segmento Docente

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página