Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > IFMA divulga diretrizes para que campi elaborem Plano de Retorno Gradual às Atividades Pedagógicas Presenciais
Início do conteúdo da página Notícias

IFMA divulga diretrizes para que campi elaborem Plano de Retorno Gradual às Atividades Pedagógicas Presenciais

Documento prevê que plano a ser feito por cada campus observe a realidade de cada localidade e seja elaborado a partir de amplo debate interno e com a comunidade. Diretrizes serão apresentadas em live transmitida pela TV IFMA no Youtube no dia 16 de agosto.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 11/08/2021 11h07
  • última modificação 11/08/2021 11h07

Imprimir
O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) divulgou as Diretrizes para as Atividades Pedagógicas Não Presenciais e Diretrizes para o Retorno Gradual às Atividades Pedagógicas e Administrativas Presenciais, suspensas com a pandemia de Covid-19. A Portaria Nº 3350/2021, de 10 de agosto de 2021, prevê que os campi elaborem, de forma coletiva com a comunidade, o plano para o retorno gradativo e seguro à sala de aula, a ser estruturado em quatro fases, levando em consideração indicadores de saúde para controle da pandemia. As diretrizes serão apresentadas no dia 16 de agosto, em live transmitida pela TV IFMA no Youtube. O documento orienta que ocorra um amplo debate interno nos campi na etapa de construção dos Planos.

Portaria Nº 3350/2021, de 10 de agosto de 2021

Cada campus vai organizar seu Plano de Retorno Gradual às Atividades Pedagógicas Presenciais de forma coletiva, com base nas diretrizes construídas pelo IFMA, que levam em consideração protocolos sanitários, legislações, especificidades estruturais e regionais dos campi e municípios e ainda diretrizes pedagógicas com conceitos bem definidos. A chefe do Departamento de Ensino Técnico da PRENAE e Presidente do Grupo de Trabalho que elaborou as diretrizes de retorno, Márcia Andréa Santos, reforça que as diretrizes não são um plano de retorno, pois estes devem ser elaborados pelos campi. “Temos 29 campi espalhados no Maranhão em regiões e realidades distintas. Por isso, não podemos fazer um plano igual para todos. Somente os campi são capazes de executar o retorno gradativo e seguro conforme suas especificidades”, explicou Márcia Andréa Santos.

Fases

As diretrizes para elaboração dos planos preveem quatro fases a serem atingidas pelos campi, levando em conta a estrutura das unidades. A definição e transição entre as fases deverá observar parâmetros com base em indicadores de saúde para controle da pandemia do Covid-19.
Na 1ª Fase, as atividades pedagógicas ocorrem de forma 100% online. É a fase que contempla as atividades realizadas atualmente nos campi. Já na 2ª Fase, é instaurado o início gradual da retomada presencial, em que as atividades pedagógicas ocorrem de forma prioritariamente online, com autorização de atividades presenciais – como funcionamento de bibliotecas para ponto de estudo, visitas técnicas em espaços externos ao campus, reuniões de e grupos de estudo de alunos, acesso a ponto presencial de internet a alunos, uso de laboratórios, plantões de dúvida com professores e alunos, etc. Na 3ª Fase, ocorre o regime de oferta mista das atividades pedagógicas – não presencial e presencial, com percentuais e alternâncias definidos no campus. E na 4ª Fase, haverá a retomada completa das atividades pedagógicas presencias.
As diretrizes trazem ainda os pré-requisitos para a instauração de cada fase pelos campi. “O campus precisa organizar essas fases, fazer um planejamento inteiro ou por fases. Desse modo, o IFMA busca garantir o retorno gradativo das atividades pedagógicas presenciais, seguindo os protocolos referendados que permitem a volta segura à sala de aula”, afirmou chefe do Departamento de Ensino Técnico da PRENAE.
Segundo Márcia Andréa Santos, a próxima etapa, após a aprovação das diretrizes, será a realização de reuniões internas para explicar os pormenores dos planos e definir prazo para os campi apresentarem seus planos. Já os campi deverão realizar encontros com a comunidade, a fim de explicar e estabelecer as linhas de retorno. Além disso, os planos e fases de cada campus ficarão disponíveis em uma página do portal do IFMA na internet, para que a comunidade possa acompanhar o funcionamento de cada unidade de ensino.

Histórico de discussões

No dia 2 deste mês, foi realizada uma reunião com a Câmara de Ensino da Rede de Diretores, para apresentação da minuta das diretrizes. No dia 3, ocorreu a reunião com o Comitê de Crise para o Enfrentamento ao Coronavírus da instituição, para discussão e encaminhamento da proposta ao Grupo Técnico de Trabalho (GTT). No dia 5, foi realizada a reunião com o Comitê Assessor da Gestão do Ensino (CAGEN), formado pelos diretores de desenvolvimento educacional dos campi. No dia 9 de agosto, houve a reunião com a Rede de Diretores dos campi do IFMA; e, no dia 10, o encontro para a validação e emissão da portaria pelo Comitê de Crise, além da assinatura do documento pelo reitor do IFMA, Carlos Cesar Teixeira Ferreira, para a divulgação.

Construção coletiva do plano

Em data a ser definida pelos campi, haverá discussão no âmbito das unidades de ensino do IFMA, para identificação da fase e construção do plano. Esta etapa terá a participação dos Comitês de Crise Locais; da Comunidade Geral (incluindo docentes, técnicos administrativos, pais e estudantes) e do Conselho Diretor do Campus. Durante o mês de agosto, também serão realizadas reuniões técnicas e formativas para capacitação dos servidores nas ações decorrentes do Plano de Retorno.

registrado em:
Fim do conteúdo da página