Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Professora do IFMA Barreirinhas lança livro sobre tráfico transatlântico de africanos no Maranhão
Início do conteúdo da página Notícias

Professora do IFMA Barreirinhas lança livro sobre tráfico transatlântico de africanos no Maranhão

O livro de autoria da professora de História, Marinelma Costa Meireles, será lançado na sexta-feira (26/11), às 18 horas, em São Luís, capital maranhense
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 25/11/2021 16h44
  • última modificação 25/11/2021 16h51

Imprimir

Com uma pesquisa que aborda o comércio de negros escravizados para o Maranhão na segunda metade do século XVIII, o livro “Tráfico Transatlântico e procedências africanas no Maranhão setecentista”, de autoria da professora do IFMA, Campus Barreirinhas, Marinelma Costa Meireles, será lançado nesta sexta-feira (26/11), às 18h, na Livraria Espaço Cultural AMEI, no São Luís Shopping. Publicado pela Editora CRV, o livro com 114 páginas se originou da dissertação de mestrado que a autora defendeu no programa de pós-graduação em História da Universidade de Brasília, em 2006.

 

A escravidão negra é o pano de fundo do estudo. O livro aborda o comércio de escravizados negros no que diz respeito aos registros de viagens e ao desembarque de cativos no porto de São Luís. Ele trata do levantamento de viagens (nas rotas do comércio escravo) e as procedências desses escravizados, mapeadas a partir de fontes da burocracia administrativa (ofícios, mapas da escravatura, visitas da saúde) e fontes paroquiais (registros de casamentos).

 

O cenário é o Maranhão Colonial, mais especificamente, a segunda metade do século XVIII, que vivenciou consideráveis transformações, devido à transição da economia de subsistência para uma economia conectada às rotas das trocas internacionais e à conexão ao espaço atlântico nas interações humanas e materiais. Nessa dinâmica, a região se tornava cada vez mais dependente dos braços de homens e mulheres escravizados, de modo a atender aos imperativos de produção e a presença africana se intensificava localmente. O contexto é a implantação do empreendimento mercantil – Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão (1755) – que dispôs sobre o monopólio do comércio regular de escravos africanos para o Grão-Pará e Maranhão e da navegação nas rotas que ligavam os portos de São Luís e de Belém aos principais embarcadouros de escravos, na África.

 

Sobre a autora

 

 

 

 

Marinelma Costa Meireles é doutora em História Social da Amazônia pela Universidade Federal do Pará. Os seus estudos são voltados para a área da escravidão negra e suas implicações na formação do Maranhão Colonial. Atualmente, desenvolve pesquisas sobre as relações entre a Justiça e a escravidão no Maranhão Colonial e exerce a docência na área de História no IFMA Campus Barreirinhas.

 

 

=========================================================================================

Serviço

O QUÊ: Lançamento do livro “Tráfico Transatlântico e procedências africanas no Maranhão setecentista”

QUANDO: Sexta-feira, 26 de novembro, às 18 horas

ONDE: Livraria Espaço Cultural AMEI, no São Luís Shopping.

=========================================================================================

 

Fim do conteúdo da página