Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Emendas Parlamentares > Orçamento 2022 do IFMA é apresentado para dirigentes dos campi
Início do conteúdo da página Notícias

Orçamento 2022 do IFMA é apresentado para dirigentes dos campi

Orçamento da instituição para funcionamento/custeio e investimento este ano será de R$ 73,2 milhões. Em 2021, foram R$ 52,5 milhões em recursos.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 11/02/2022 17h09
  • última modificação 17/03/2022 15h13
Imprimir

O orçamento do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) para funcionamento/custeio e investimento em 2022 será de R$ 73,2 milhões. A instituição receberá ainda valores derivados de emendas parlamentares – R$ 12.5 milhões para investimento e R$ 2 milhões em custeio. Os montantes foram apresentados durante reunião do Colégio de Dirigentes (Coldir) realizada no dia 8 de fevereiro, de forma remota. Também foi apresentada, ao colegiado, a execução orçamentaria e financeira de 2021, com gastos de R$ 52,5 milhões.

Além dos recursos de funcionamento/custeio e investimento, prevê-se também, para 2022, R$ 24,2 para assistência estudantil; R$ 5,1 milhões em expansão; e R$ 2,5 milhões para capacitação de servidores. Vale destacar que os valores divulgados não se referem a despesas com a folha de pagamento.

Os números foram apresentados, na reunião, pelo diretor de Orçamento e Finanças do IFMA, Juariedson Belo, da Pró-Reitoria de Administração (PROAD). Ele explicou que o aumento em 2022 dos recursos para funcionamento, em relação a 2021, são consequência de recomposição orçamentária. “Sofremos uma queda orçamentária de 2020, em que havia disponíveis R$ 74,1 milhões, para R$ 52,5 milhões em 2021. Em 2022, não conseguimos recomposição de 100% em relação a 2020, ficando com R$ 73,2 milhões”, declarou.

O diretor de Orçamento comentou ainda sobre as despesas de investimento do IFMA em 2021, na ordem de R$ 22 milhões. Desse valor, R$ 10 milhões foram conseguidos com remanejamento de recursos, derivados da economia de despesas decorrentes do menor gasto durante o período de Pandemia, no qual ocorreram atividades remotas – acadêmicas e administrativas, segundo explicou Juariedson Belo.

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página