Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Emendas Parlamentares > Colégio de Dirigentes avalia indicadores estratégicos do IFMA
Início do conteúdo da página Notícias

Colégio de Dirigentes avalia indicadores estratégicos do IFMA

Reunião virtual do órgão colegiado propôs a apreciação de informações para posterior aprovação do relatório de gestão do IFMA pelo Conselho Superior
  • Augusto do Nascimento
  • publicado 20/04/2022 12h57
  • última modificação 17/05/2022 09h57
Imprimir

O Colégio de Dirigentes (COLDIR) do IFMA, órgão colegiado composto pelo reitor, pró-reitores e diretores-gerais dos campi, reuniu-se virtualmente no dia 18 de abril (segunda-feira), quando tratou da avaliação estratégica da instituição.

Informes

Na abertura da 120ª reunião ordinária do COLDIR, o reitor Carlos César Teixeira Ferreira, que preside o colegiado, apresentou alguns informes institucionais, iniciando pela recente viagem de trabalho que realizou com comitiva a Portugal, durante a qual foram estabelecidos acordos com os institutos politécnicos do país europeu, além de cumprir agenda oficial na Embaixada brasileira. O reitor destacou que Portugal configura o país da Europa que mais coopera com o Brasil, e a missão da comitiva vai resultar no fortalecimento do processo de internacionalização e de mobilidade acadêmica no IFMA. “Esses acordos vão dar abrangência para que todos os eixos tecnológicos possam ser propostos para a dupla diplomação”, considerou Carlos César Ferreira.

O presidente do COLDIR informou ainda sobre mensagem eletrônica recebida do Exército Brasileiro, sinalizando positivamente quanto à demanda apresentada pelo IFMA ao Departamento de Engenharia da instituição militar, para a abertura de 14 poços artesianos nos campi. Segundo o reitor, a colaboração proposta é voltada para os aspectos logísticos referentes à demanda, e o IFMA constitui a primeira instituição da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Rede Federal), que reúne os institutos federais de todo o país, a assinar um termo de cooperação com o Exército para a implementação de obras e serviços de engenharia.

Também foi pauta dos informes do reitor as recentes mudanças de pessoal ocorridas na alta gestão do IFMA. De acordo com o dirigente, o professor Gedeon Reis foi designado para assumir o cargo de diretor-executivo da Reitoria, em substituição a Roberto Brandão, licenciado para cumprir agenda externa de candidatura a cargo eletivo. Com a mudança, a Diretoria de Educação (DED, vinculada à Pró-reitoria de Ensino e Assuntos Estudantis | PRENAE), até então sob a titularidade do novo diretor-executivo, passa a ser ocupada pela pedagoga Márcia Andréa Araújo Santos, chefe do Departamento de Ensino Técnico (DETEC/DED/PRENAE), cuja chefia passa a ser exercida provisoriamente pela também pedagoga Gabriella Brito Rosa.

Carlos César Ferreira referiu-se às articulações que o Instituto vem tratando com o Ministério da Educação (MEC), agora sob a gestão de Victor Godoy Veiga, para que representantes do órgão ministerial, especificamente da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC), participem da agenda de inaugurações do IFMA nas unidades de Santa Inês, Rosário e Colinas, previstas para os próximos meses. Ele ressaltou que a vinda do secretário Tomás Dias Sant’Ana ao Maranhão deve ensejar um encontro da equipe oficial de trabalho da SETEC com os diretores-gerais dos campi.

Sobre a agenda da Reitoria, o gestor tratou ainda de encontro agendado com o deputado federal Hildo Rocha, no dia 22 (sexta-feira), quando serão entregues a seis prefeitos de municípios maranhenses resoluções para a construção de polos do IFMA. Carlos César Ferreira informou que terá agenda privativa com o parlamentar, que é membro da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) do Congresso Nacional, para discutir a possibilidade de liberação de recursos da CMO para a construção de quadra poliesportiva no Campus Itapecuru-Mirim, como fonte financeira alternativa às emendas parlamentares da bancada maranhense, negociadas com o IFMA. A esse respeito, o reitor anunciou que está articulando um encontro com os parlamentares do Maranhão, para a continuidade do apoio de emendas para a execução de projetos estruturantes nos campi, a partir de 2023.

Avaliação da Estratégia

O presidente do COLDIR explicou que, dentro da estrutura de governança do planejamento estratégico do IFMA, o COLDIR constitui a instância de gerenciamento e validação das metas a serem alcançadas em diferentes dimensões da instituição.  Nesse processo, a Reunião de Avaliação da Estratégia (RAE) ocorre pelo menos um a vez por ano entre o corpo de dirigentes, sendo necessária para o encaminhamento ao Conselho Superior (CONSUP), de forma que o órgão colegiado máximo se reúna e aprove o relatório de gestão do ano anterior. O reitor destacou o trabalho de prestação de contas empreendido pelos servidores da Pró-reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (PROPLADI), na coleta e organização de dados junto a outros setores da alta gestão e dos campi do Instituto, para a definição indicadores estratégicos.

“O planejamento estratégico compõe não apenas o Relatório de Gestão, mas também outros documentos, como o PDI [Plano de Desenvolvimento Institucional]”, comentou Clarisse Medeiros (PROPLADI), que apresentou a pauta ao COLDIR durante a 7ª RAE. De acordo com a pró-reitora, a reunião atual apresentou diferenças em relação às edições anteriores (2019 e 2020), quando os indicadores sofreram impactos decorrentes da pandemia da Covid-19. Além de tratar de conceitos relativos à avaliação de indicadores estratégicos, o encontro de dirigentes avaliou os resultados de 19 indicadores em 2021, e propôs o estabelecimento de metas a serem atingidas no exercício do ano posterior. Ela explicou que, no âmbito da PROPLADI, a avaliação do planejamento estratégico é feita pelas diretorias de Planejamento Institucional e Desenvolvimento Humano (DIPIDH) e de Gestão de Tecnologia da Informação (DIGTI), com a colaboração das comissões locais designadas em cada campus para essa finalidade.

A pró-reitora disse que a RAE é um instrumento para avaliar a evolução da instituição, e o não encaminhamento de informações por determinadas áreas deve ser comunicado para a avaliação de quais indicadores podem estar incompletos. Clarisse Medeiros observou que o mapa estratégico do IFMA (imagem à esquerda) se divide em quatro perspectivas (orçamento, resultados institucionais, processos internos, e gestão de pessoas e infraestrutura), compreendendo 17 objetivos institucionais. Segundo a pró-reitora, ao serem atingidos os objetivos propostos no mapa estratégico, mensurados a partir de 31 indicadores e suas respectivas metas, o IFMA caminha para o efetivo cumprimento de seus referenciais estratégicos (missão, visão e valores). Dessa forma, a RAE busca justamente avaliar até que ponto as metas e os consequentes resultados foram atingidos, através do portfólio de projetos estratégicos do IFMA.

Sobre os indicadores de gestão, Clarisse Medeiros explicou que podem ter natureza acadêmica, administrativa, socioeconômica, e pessoal, alguns dos quais dependem de dados disponibilizados pela Plataforma Nilo Peçanha (PNP), instrumento do MEC que compila dados das instituições integrantes da Rede Federal. A 7ª RAE avaliou 19 indicadores internos, independentes dos dados da PNP.

Fim do conteúdo da página