Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Campus Maracanã recebe exposição itinerante de xilogravura do Encanta Cordel
Início do conteúdo da página Notícias

Campus Maracanã recebe exposição itinerante de xilogravura do Encanta Cordel

  • Romulo Gomes
  • publicado 09/08/2022 17h35
  • última modificação 10/01/2023 14h38

Imprimir

Exposição de xilogravuras do artista gráfico Marcelo Soares

Xilogravuras e poesias populares, que fazem parte dos bens culturais brasileiros, foram expostas no IFMA – Campus Maracanã, para uma aula de educação patrimonial, na última sexta-feira (05). A curadoria do material é feita pelo Encanta Cordel, projeto orientado à valorização de uma das mais tradicionais formas de narrativa da região Nordeste, a literatura de cordel.

Até a década de 1980, era comum o uso da técnica de xilogravura para registrar as produções dos cordelistas nordestinos. Os artistas entalhavam a madeira, criando imagens e textos, e pintavam as partes mais elevadas. Depois, pressionavam em papel ou tela, dando origem aos folhetos de cordel.

Estudantes e servidores do campus puderam ver de perto como essa técnica é utilizada pelo artista gráfico Marcelo Soares. Ele faz gravuras e ilustrações para cordel desde 1974, tendo no currículo a ilustração da obra O Bordado e a Pantera Negra, de Ariano Suassuna. “Trouxemos uma matriz que ele [Marcelo Soares] nos vendeu, para que as pessoas tivessem a experiência tátil de tocar a matriz e saber como é que veio a xilogravura. Uma pessoa com deficiência visual ou com limitações na visão poderá tocar a placa e perceber como seria a gravura”, explicou o artista e coordenador executivo do projeto, Antônio Sobreira.

A exposição itinerante de xilogravura foi levada a outros bairros de São Luís. Na programação, também estão previstas atividades nos municípios de Anajatuba, Santa Rita e Bacabeira, no Maranhão. Também serão contempladas cidades do interior da Paraíba e de Pernambuco. Na passagem pelo Campus Maracanã, foram abordados a declamação, a poesia, os repentistas e mesa de glosa, que também são elementos da cultura do cordel.

O IFMA entrou no circuito a partir de uma reunião promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), sobre o Plano de Salvaguarda da Literatura da Cordel e Repente no Maranhão, da qual participou o professor Marcondes Leite, do Campus Maracanã.

Produção cultural

O Encanta Cordel recebeu recursos do Instituto Cultural Vale, por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Lei 8.313/1991). A forma de acessar esse tipo de financiamento ainda é desconhecida por alguns fazedores culturais. Pensando nisso, os articuladores do projeto desenharam uma formação sobre Produção Cultural.

No treinamento, que aconteceu no Espaço Cultural do campus, foi explicado todo o ciclo de um projeto, a pré-produção, a produção e a pós-produção, além dos editais culturais e documentação, planilha orçamentária, execução financeira e prestação de contas. “Percebemos que no Maranhão não há muitos projetos aprovados nesse edital. Há empresa que financia projetos aqui e o Maranhão é um berço de cultura, então por que não ter mais projetos do estado?”, questionou Antônio Sobreira, que atua como produtor cultural.

A professora Leide Ana Caldas, do Campus Coelho Neto, fez o registro de audiovisual do Encanta Cordel, no Maranhão, representando a Carabinas Filmes.

Imagens: Valderedo Alexandre

Fim do conteúdo da página